sexta-feira, junho 02, 2006

Era uma vez uma Gaivota…

Foto by R.

À minha frente, o rio corria apressado em direcção à boca do mar que o engolia. As bolhas espumosas saltavam, espalhando um cheiro agradável, uma fragrância adocicada e salgada. Por detrás, erguiam-se majestosas as montanhas, enormes e cobertas de árvores, derramando o seu verde fulgurante sobre o azul do mar.

O vento dançava ao acaso. Vinha dali ou vinha de outro lado, parecendo festejar o encontro entre a água salobra e a água marítima.
Tudo exalava purificação. Oferecia-me um bem-estar interior, a sensação de estar deitada em cima de um arco-íris. Depois de contemplar este ambiente, pus-me a beber rios de palavras de um livro, com um sorriso sereno estampado no coração.

De súbito, no meu lado direito, um estranho vulto aterrou sobre a areia fina e acastanhada. Senti-o pelo canto do olho. O seu movimento invulgar e insistente perturbou a minha leitura e fez-me levantar os olhos até atingi-lo.

Era uma gaivota! Encontrava-se tão próxima, a menos de 2 metros. Até se conseguiam ver os pormenores das penas.

Fiquei imóvel, não me atrevendo a mexer um único músculo, observando-a deslumbrada. Era tão branca como a cor de algodão, tinha uma postura digna de uma ave independente. A natureza esculpiu-a com perfeição! Deixei-me ficar assim, em transe, durante um tempo, gravando docemente aquela imagem, até que me sobressaltei com o toque de um dedo sobre o meu braço esquerdo, como se tivesse sido tocada ao de leve pela queda de uma minúscula pena.

Virei-me lentamente para não assustar a gaivota. Os meus olhos encontraram com os da minha amiga. Não foram precisas palavras. Também ela estava encantada com esta magnífica visitante.

O tempo passou. Tínhamos agora de nos mexer, de respirar com o ruído, uma vez que já nos começávamos a sentir paralisadas de a fitar tanto.

Pus-me a sussurrar à minha amiga:
- Esta gaivota é tão corajosa para estar ao pé de nós.

Ela assentiu ao meu comentário. Voltámos a olhá-la. A gaivota estava a observar-nos alerta mas não se esquivou ao mínimo som da minha voz. Fiquei espantada, arqueando o meu sobrolho grosso, quase o meu queixo tocava o meu pescoço de tão caído estava! R. também se apercebeu do estranho comportamento. A ave não tinha aspecto adoentado. Não coxeava. As asas estavam em excelentes condições, fortemente lisas e correctamente arrumadas nos seus sítios.

Começámos a pensar. Será que…?

Os lábios de R. estreitaram-se num apertado círculo, soprando dióxido de carbono. Deste modo, apercebi-me de que estava a assobiar. Um bombástico som capaz de atemorizar qualquer animal. Fiquei suspensa, quase encolhida, um pouco receosa ante a perspectiva de a assustar.

A gaivota continuou ali como se nada fosse!

Olhei para aqueles olhos pretos. Tão pequeninos, mas bem abertos. Ávidos e perspicazes. Foi então que reparei que havia algo diferente nela. Mexia excessivamente a cabeça, para um lado e para o outro, e também para trás, repetidas vezes.

Falei alto, completamente exaltada, com esta inesperada descoberta:
- A gaivota é surda!

O que fazia ali sozinha? Encontrava-se distante de uma multidão de gaivotas que sobrevoava freneticamente, fazendo piruetas, por cima da Foz. Estava excluída da comunidade. Abandonada ou ignorada, sem outra gaivota para companhia.

Perante esta verdade, o meu interior jorrou em gotas de água. As lágrimas silenciosas de dor. A gaivota era um reflexo de mim própria!


(Esta gaivota era jovem, sabia-o pela cor do seu bico, era preto. Passou quase um ano desde que a encontrei. Será que agora é uma esplêndida gaivota? Será que já encontrou companhia? Como gostava de saber…)

29 Comments:

Anonymous R. said...

FINALMENTE "Ca" moça voltou!!!

Mas que foto tão linda :-P

6:08 da tarde  
Blogger Caracolinha said...

Que SSSSAAAAAUUUUUDDDDAAADDDDEEESSSS !!!!!!!!

Passava sempre por aqui para te procurar ...

Voltaste e de que maneira ... com este magnífico texto cheio de emoções e carregado pelo valor dos sentidos ...

Gosto muito da pessoa que és e que transparece na forma sublime como te expressas ... :)

Se fores não vás tanto tempo ... promete-nos !!!!

Quanto à gaivota ... estou certa que arranjou companhia sim ... por vezes é só uma questão de esperar pelo momento certo !!

Um beijo encaracolado em saudade ... :))

4:02 da tarde  
Blogger @Memorex said...

FINALMENTE voltaste!

Minha querida SilenceBox tive tantas mas mesmo tantas saudades de ler os teus fragmentos poéticos!
Mais um texto maravilhoso, como tu bem o sabes palpitar as nuanches coloridas e perdi-me nas lágrimas de cada palavra.

SAUDADES tuas, SAUDADES dos teus relatos e SAUDADES de falar ctg!

carinhosamente Memorex, um abraço grandioso e espero q estejas bem melhor :)

4:11 da tarde  
Blogger ≈♥ Nadir ♥≈ said...

Beijos e boa semana.

12:00 da manhã  
Blogger Isabel-F. said...

Gostei de te ler ... depois de tanto tempo.



Espero que esteja tudo bem contigo. Venho pedir-te desculpas pela minha ausência ... que vai continuar ... amanhã vou de férias ... e só estarei de regresso no dia 16.

Beijinhos

11:10 da manhã  
Blogger Alexandre Sousa said...

O CUMPLICIDADES já está à venda nos meus blogs.

3:17 da tarde  
Blogger maresia_mar said...

Olá querida,
como senti a falta dos teus escritos! Mas voltaste com garra, mais um post magnifico, a imagem, o sitio, tudo... Será que encontrou??? Tudo é possível... Amei deveras.. Bjhs e boa semana

12:15 da tarde  
Blogger *LáMenor* said...

E quantas vezes nao desejamos nos, em silencio, poder ser essa gaivota destemida cujo mundo encantado ninguem corrompe???

Gostei imenso do texto... muito fluido,envolvente... doce com sabor a por do sol e a maresia... Gostei MM! Beijo***


(acabei por n resistir e li mais uns textinhos... desde ja... MUITOS PARABENS! Escreves mt MT bem! Qd for "grande" quero ser um bocadinho cmo tu!)

6:15 da tarde  
Blogger Betty Branco Martins said...

Minha querida

Que história linda, aqui contaste. Comovidamente a li...

Essa "Gaivota" por certo arranjou companhia - tenho a certeza!

Beijinhos

1:55 da manhã  
Blogger ≈♥ Nadir ♥≈ said...

passei por aqui novamente :)
Beijos e bom fim de semana

10:06 da manhã  
Blogger Leonoretta said...

ola. um texto lindissimo que marca positivamente o teu regresso.

beijinhos da leonoreta

2:31 da tarde  
Blogger [jb] said...

depois de tanto silencio enfim vc grita para nós!!!

[jb]

4:16 da manhã  
Blogger ≈♥ Nadir ♥≈ said...

Beijos e bom feriado

12:58 da manhã  
Blogger lena said...

queria ler-te de novo,

gostava de saber bailar como uma gaivota...

é sempre belo e lindíssimo o que escreves

um beijo meu

lena

12:41 da tarde  
Blogger wind said...

Voltaste e com um belo texto!
Colocas sentimentos, emoções em tudo o que escreves e sinto isso ao ler-te.
Acredito que a gaivota tenha arranjado companhia:)
beijos e não te ausentes por tanto tempo*

4:45 da tarde  
Blogger Lumife said...

Bem-vinda de novo ao nosso convívio.

E que maravilha de texto.

Bjs.

4:32 da tarde  
Blogger Santa said...

Belo texto!

Bjs

3:08 da tarde  
Blogger M.M. said...

Olá Silencebox!
Um lindissimo post.
Muito descritivo.
Espero por mais leituras tão interessantes como esta.

Um beijinho

M.M.

9:48 da tarde  
Anonymous Noite said...

Não são raras as vezes que queremos voltar a ter notícias de alguém que aterrou na nossa vida como um relâmpago, e depois foi com a brisa do vento voar para outras paragens...

12:46 da tarde  
Anonymous lique said...

Saudades tuas! Voltaste e com uma comovente história. Decerto a gaivota encontrou quem a acompanhasse. :)
Beijinhos

4:41 da tarde  
Blogger Caracolinha said...

Passei para te deixar um beijinho (já) de saudade e te dizer que deves realmente ser uma pessoa muito especial ... pelas palavras que sempre me dedicas !!!!

Beijoca encaracolada :)

12:05 da manhã  
Blogger Fernanda Carvalho said...

Um texto lindo!!! Parabéns!!!
Qto à gaivota... concerteza que é feliz e partilha uma prole de gaivotinhas com outro belo exemplar da espécie.
Gostei.
Beijinhos
Fernanda

12:00 da tarde  
Blogger Betty Branco Martins said...

Minha querida

Passei para te deixar uma flor
Um :))
e
Muitos beijinhos

BomFsemana

6:04 da tarde  
Blogger ≈♥ Nadir ♥≈ said...

PORTUGAL! PORTUGAL!
VIVAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
FORÇAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
A CAMINHO DA FINAL!

;)
Beijos

11:45 da tarde  
Anonymous Confissões said...

Olá!! Tudo bem?
Vim dizer que tive muitas saudades de ler o teu blog.. e ver se é desta que fico definitivamente. :) Beijocas!!

11:17 da tarde  
Blogger croqui said...

bela história, escreves muito bem!

8:37 da tarde  
Blogger FOTOESCRITA said...

Há tanto tempo que aqui não vinha! Que bom foi ter-te na minha casa e saber-te de novo amiga da tua escrita com quem mais parecia teres-te zangado :-)
Que bonita esta tua história e esta tua gaivota/menina/rapariga/senhora!
E agora vou por aí acima à procura de mais.
Um beijo.

9:41 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Excellent, love it!
»

7:42 da manhã  
Blogger APC said...

Pleno de sensibilidade.
Deixa um travozinho bom.
Foi a 1ª coisa que te li.
Voltarei! :-)

8:25 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home